(41)3034-2120

Rua João Simbalista, 429 - Jardim Primavera
Piraquara, PR

Musicoterapia

1 vez por semana temos musicoterapia com a profissional para o bem estar de nossos idosos.

foto1O atendimento ocorre as terças-feiras às 16H00min.

Objetivos dessa terapia

  •  Propiciar o resgate das lembranças e promover o aumento da alto estima e do sentimento de segurança, pela valorização das experiências vividas e a história pessoal de cada idosos.
  • Ampliar a capacidade de socialização entre eles.
  • Favorecer a aceitação das possibilidades e limitações das condições atuais do idoso com condição para uma melhor qualidade de vida.
  • Proporcionar o prazer pela expressão instrumental e criativa.
  • Criar uma expectativa de futuro através de tarefas relacionadas ao compromisso de participação e manifestação musical nos encontros de musicoterapia.

Por Ingrid Boy Ramos (Musicoterapeuta)

foto2A musicoterapia para pessoas idosas tem o objetivo de promover a evocação de lembranças e melhora da memória, contribuindo também para estabelecer canais de comunicação e incentivar a sociabilidade, explorando aspectos do EU e fortalecendo a identidade na relação com o outro.
Nas sessões musicoterápicas da residência Fraternitas são trabalhadas diversas atividades, muitas vezes as canções são baseadas em épocas festivas e no calendário, como forma de contribuir com a orientação no tempo.

Entre as atividades trabalhadas nos encontros estão: canto, manuseio de instrumentos musicais, jogos musicais, escuta musical para estimulação, escuta perceptiva (para melhorar a habilidades de atenção e conservação auditiva) e o trabalho corporal, onde mediante movimentos corporais simples, ao compasso da música, pode-se ajudar o idoso a manter o tônus muscular, melhorar problemas ósseo-musculares e trabalhar a circulação.
Os encontros musicoterapêuticos são desenvolvidos através da utilização de métodos e técnicas da Musicoterapia definidos por Bruscia, Musicoterapeuta argentino (2000), como: Improvisação, Re-criação Musical, Composição e experiências Receptivas, dentre outras técnicas grupais direcionadas ao trabalho.

SAM_1685Os estilos musicais utilizados nos atendimentos variam conforme as preferências do grupo, porém geralmente encontram-se entre eles: valsa, bolero, marchinha, samba, hinos religiosos, canções folclóricas, sertaneja, caipira, MPB, serestas, bossa nova e diversos estilos.
Entre as finalidades da experiência musical dirigida na residência Fraternitas, está contribuir com a saúde e melhorar as relações sociais, e nesta direção, promover habilidades nas esferas da comunicação, integração e do desenvolvimento cognitivo, afetivo, sensorial e motor.

Definindo de forma mais abrangente, musicoterapia é a utilização da música como um instrumento terapêutico para a recuperação, manutenção e melhora da saúde psicológica, mental e fisiológica e para habilitação, reabilitação e manutenção das habilidades físicas, comportamentais, sociais e do desenvolvimento. (Federação mundial de musicoterapia).
SAM_1684Musicoterapia é a utilização da música como um instrumento terapêutico para a recuperação, manutenção e melhora da saúde psicológica, mental e fisiológica e para habilitação, reabilitação e manutenção das habilidades físicas, comportamentais, sociais e do desenvolvimento. (Associação for Professional Music Therapists in Great Britain)
Os objetivos da musicoterapia para pessoas idosas são diversos, entre eles: estabelecer canais de comunicação e incentivar a sociabilidade e nesta direção, promover habilidades nas esferas da comunicação e integração no funcionamento e desenvolvimento cognitivo, afetivo, sensorial e motor.
São diversas as técnicas e métodos utilizados em musicoterapia, entre elas estão:
Experiências de Improvisação: Nas experiências de improvisação, o cliente faz música tocando ou cantando, criando uma melodia, um ritmo, uma canção ou uma peça musical de improviso. Ele recebe informações, demonstrações, idéias e estruturas musicais em que a improvisação se baseará.

Dentre os objetivos podem estar incluídos desenvolver a criatividade e liberdade de expressão.
Experiências re-criativas: Nas experiências re-criativas, o cliente ou grupo aprende e executa músicas apresentadas como modelo. Re-criativo é um termo que inclui executar, reproduzir, transformar e interpretar qualquer parte ou o todo de um modelo musical existente. As atividades podem se basear em jogos musicais, charadas, tocar um instrumento, cantar canções em coro, etc. Os objetivos clínicos podem ser: Melhorar a atenção e orientação; Desenvolver a memória; Desenvolver habilidades de interpretação e comunicação de ideias e sentimentos.
Experiências de composição: Nas experiências de composição o cliente pode escrever canções, letras, melodias, paródias, colagens musicais, etc. Os objetivos são: Desenvolver habilidades de planejamento e organização; Desenvolver a habilidade de documentar e comunicar experiências internas; Promover a exploração de temas terapêuticos através das letras das canções;

Experiências Receptivas: Nas experiências receptivas o cliente ouve música e responde a experiência de forma silenciosa, verbalmente ou através de outro meio. As escutas podem ser meditativas (música para acompanhar meditação ou contemplação de uma idéia em particular), escuta para estimulação, escuta eurrítmica, para ação, perceptiva (para melhorar a habilidades de atenção e conservação auditiva), escuta para reminiscência (evocar lembranças do passado), escuta para comunicação, discussão de canções, escuta projetiva, etc. Os objetivos são: Promover a receptividade; Estimular ou relaxar; Desenvolver habilidades áudio-motoras, etc.
Por meio das atividades propostas, tais como: canto, manuseio de instrumentos musicais, jogos musicais, escuta musical para estimulação, ou no trabalho corporal, onde mediante a movimentos corporais simples, ao compasso da música, pode-se ajudar o paciente a manter o tônus muscular e melhora da circulação, além de contribuir com o estado de humor.
A música influencia na energia muscular e, por conseguinte no aumento do tônus muscular. Auxilia nos transtornos respiratórios, por meio de exercícios respiratórios e do próprio cantar, que por si mobiliza respiração mais profunda, assim como os transtornos da linguagem, por meio das letras das canções podem ser minimizados. Entre os objetivos estão também diminuir a sensação de isolamento e desviar o paciente de sentimentos penosos.
A musicoterapia mostra-se um tratamento eficaz na escuta de si mesmo, do outro, na colocação da voz como sujeito de subjetividade, e na afinação não só da voz, mas do corpo como um todo.

Deixar um comentário




Enviar

Fraternitas. Organização não-governamental para atendimento a pessoas da terceira idade.
Gente que doa, aumenta sua sorte em 300%. Quer tentar?